Categoria

Pós-médio

Festival Tack Rio 2018 – 1º Lugar da ETERJ

Por | Ensino fundamental, Médio técnico, Novidades, Pós-médio | Nenhum comentário

No dia 24/11/18, aconteceu a etapa final do desafio TACK Rio, que propôs a solução de um problema através da tecnologia.

O desafio é baseado na metodologia do programa Innovation Camp, da ONG Junior Achievement – maior organização de empreendedorismo jovem do mundo.

O objetivo do programa é que estudantes das mais variadas realidades, organizados em equipes, possam encontrar soluções inovadoras para o tema: “Como estimular e dar visibilidade a cultura nas comunidades cariocas”.

Durante o processo, os participantes contam com a ajuda de mentores e voluntários que vão auxiliá-los no desenvolvimento das ideias.

Com a duração de oito horas, o desafio deve ser realizado em um único dia. Os alunos participam de atividades de brainstorming e geração de ideias, especialmente design thinking, para resolver os problemas com uso da tecnologia.

A equipe vencedora foi premiada com uma viagem para a Brazil Conference 2019, na Universidade de Harvard e para o Massachusetts Institute of Technology (MIT) nos Estados Unidos, em abril de 2019.

O grupo vencedor foi o projeto: QrCulture dos alunos da ETERJ Santíssimo: André Luiz, Lucas Coelho, Vinícius Maitan, Eduardo Guerson e Pedro Augusto.

1º ano participando e já vencemos, quanto orgulho!!!

A QrCulture é um aplicativo desenvolvido por 5 alunos da ETERJ, com o objetivo de dar visibilidade à Cultura nas comunidades, de forma inovadora.
O grafite é uma arte que expressa o interior de seu autor e todo sentimento é transformado em cores, a ser transferido para paredes, muros e até casas. Entretanto, a falta de reconhecimento a muitos desses artistas, acompanhado da discriminação, leva muitos artistas a limitar seu poder de criação. Pensando nisso, resolvemos criar uma ferramenta digital, com o objetivo de democratizar o acesso à Cultura para artistas que vivem no anonimato.
Nossa ferramenta será  um Qr code, que terá a função de ser um verdadeiro “Contador de histórias”.
“Os cenários, as tendências e os desafios de nossa região são inúmeros. Entretanto, a ETERJ, tendo como magnitude à recuperação econômica do Estado do Rio de Janeiro e a revitalização do Parque Industrial Fluminense se coloca a disposição para a permanente e salutar discussão a fim de contribuir de forma decisiva com a sociedade local e regional.”Depoimento – Michel Mesquita – Coordenador do Ensino Médio da ETERJ.

Exposição Tecnológica ETERJ 2018 No Shopping Patio Mix

Por | Ensino fundamental, Médio técnico, Novidades, Pós-médio | Nenhum comentário


📰 N O V I D A D E 📰

Fomos convidados para realizar uma 🔌 EXPOSIÇÃO TECNOLÓGICA 🛠💻no Shopping PatioMix em Itaguaí 🏬.
🗓 Será do dia 07/11 até 18/11, de 14h às 21h.

Levaremos alguns projetos da FECIP de cada curso.

É uma grande conquista 🥇 e privilégio para todos nós! 👩🏼‍🏫👨🏽‍🏫🤝🏽

Será um desafio, mas temos a certeza de mais um sucesso.🎇🎆

Você, morador de Itaguaí e adjacências é nosso Convidado.

Cursos técnicos ajudam jovens a driblar o desemprego, aponta pesquisa

Por | Médio técnico, Novidades, Pós-médio | Nenhum comentário

Cursos técnicos ajudam jovens a driblar o desemprego, aponta pesquisa

“O ensino profissionalizante é uma ótima opção para quem quer ingressar no mercado”, afirma coordenadora do estudo, Kedma Villar

O desemprego no Brasil já começou a cair, mas os números ainda estão longe do ideal. O problema é ainda maior entre os jovens. Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), 30% da população do país entre 15 a 24 anos que estava em busca de trabalho terminou 2017 desempregada. O número é o maior em 27 anos. Inexperiência e baixa qualificação profissional estão entre as principais causas.

Entre as alternativas, especialmente para os jovens, estão os cursos técnicos. O ensino profissionalizante é uma ótima opção para quem quer ingressar, ou voltar, o mais rápido possível, ao mercado de trabalho. São vários os pontos positivos dessa modalidade de estudo, explica a diretora da Escola de Saúde Unyleya, Kedma Villar, que coordena quatro cursos técnicos presenciais.

“No ensino técnico, o período para a formação é mais curto que em um curso superior e o aprendizado é focado na prática da carreira que a pessoa escolher e com a qual tiver mais afinidade. O custo-benefício, devido às mensalidades mais acessíveis, também é outro ponto positivo”, afirma Kedma.

Além disso, para os jovens que querem começar logo a trabalhar, é ideal, pois exige que o aluno esteja apenas no segundo ano do ensino médio ou já o tenha concluído. O ensino técnico é voltado para a qualificação profissional, onde teoria e prática necessariamente precisam estar juntas. O estudante se forma apto a trabalhar e, muitas vezes, ingressa no mercado de trabalho até mesmo durante a formação.

“Os cursos técnicos possuem as certificações intermediárias, as quais são conferidas ao aluno na metade do curso. Com esses certificados, ele estará pronto para já atuar profissionalmente em algumas funções da sua profissão antes da conclusão do curso”, explica a diretora.

Falta de profissionais X desemprego
Para quem faz um curso técnico, as chances de conseguir rapidamente a empregabilidade se dá, também, por causa da falta desse tipo de profissional no mercado. Pesquisa inédita realizada pela fundação Dom Cabral (FDC), em 2016, mostra que, das empresas que se deparam com problemas na hora da contratação, 40% apresentam maiores dificuldades para encontrar profissionais qualificados de nível técnico.

O levantamento foi feito com 201 empresas de grande porte no país, distribuídas em todas as regiões. Juntas, elas empregam 936 mil funcionários em tempo integral. “O nível técnico apresentou-se como aquele com maiores dificuldades para se encontrar profissionais qualificados”, diz o estudo.

Fonte: https://www.metropoles.com/concursos-e-empregos/emprego/cursos-tecnicos-ajudam-jovens-a-driblar-o-desemprego-aponta-pesquisa

 

Bolsão 2018.2 – Inscrições para o Pós-Médio Técnico

Por | Novidades, Pós-médio | Nenhum comentário

BOLSÃO 2018 2º semestre – INSCRIÇÕES PARA O PÓS-MÉDIO TÉCNICO

O Pós-Médio Técnico é para você que está cursando a segunda série ou já concluiu o Ensino Médio e deseja se qualificar tecnicamente em pouco tempo.

Inscreva-se no Bolsão Pós-Médio Técnico ETERJ e receba até 100% de desconto em suas mensalidades. Escolha abaixo a unidade de sua preferência e faça já sua inscrição pela internet.

 Inscreva-se para o Bolsão em Santíssimo

Inscreva-se para o Bolsão em Itaguaí

Se preferir, você pode fazer sua inscrição presencial na Sala de Matrículas da ETERJ

Unidade Santíssimo – Av. Santa Cruz, 9.591

Unidade Itaguaí – Praça da Aclamação, 136

Curso técnico aumenta chance de uma vaga no mercado de trabalho

Por | Ensino fundamental, Médio técnico, Novidades, Pós-médio | Nenhum comentário

Para quem está procurando o primeiro emprego ou uma qualificação, os cursos técnicos podem ser um atalho. Em São Paulo, a maioria dos alunos sai do curso com vaga garantida

Vestir o jaleco branco é um orgulho para a estudante do curso técnico de enfermagem Fernanda Kay Vianna Paulo. Depois de um semestre de aulas, ela já tem estágio garantido e passou num concurso público graças ao curso técnico que está fazendo. Entrar não foi fácil. “O curso que eu escolhi, que é enfermagem, ele é bem concorrido. Atualmente, são mais ou menos 30 candidatos por vaga”, diz.

Para chegar lá, muita gente trocou parte das férias pelas aulas de cursinhos e as provas para as escolas técnicas. “Vou fazer o integrado, que de manhã é o ensino médio e de tarde é o curso que eu escolhi, que, no caso, foi administração”, conta Bianca Cristina Santos, de 14 anos.

“Eu estudo de manhã normal numa escola pública, e de tarde, de noite eu vou para o curso”, diz outra estudante.

A chance de ter logo uma profissão e um ensino de qualidade tem atraído muitos alunos de escolas particulares. “Se você passar nesse vestibulinho, você tem muito mais vantagem para entrar no mercado de trabalho”, afirma Lucas França, de 14 anos.

Para muitos, o trabalho técnico pode até ajudar a bancar a faculdade depois. “Ganhar uma experiência de vida para poder ir para a faculdade um pouquinho melhor”, diz Mateus Assis Ribeiro, de 15 anos.

Mas esse entusiasmo poderia contagiar muito mais gente. Das 54 milhões de pessoas que poderiam cursar o técnico de nível médio no Brasil, só pouco mais de dois milhões seguiram esse caminho. Dá menos de 4% no último levantamento do IBGE.

“Quando você vai para a Europa, você encontra os países, entre Portugal, Espanha e Alemanha numa faixa que vai que vai de 30% a 50%. Ou seja, nós estamos numa situação desconfortável do ponto de vista estatístico no que diz respeito à preparação do jovem para uma cidadania mais plena, que passa pela sua profissão”, afirma o coordenador de ensino médio e técnico Almério Melquíades de Araújo.

As coisas podem até vir de bandeja, mas, por trás de todos os produtos e serviços que consumimos no dia a dia, existe a necessidade de profissionais que dominem o ofício. E é dessa necessidade que nascem os cursos técnicos. Um exemplo é o mais recente criado em 2018 em São Paulo: o da produção de vidro.

Os veteranos de uma fábrica ajudaram a montar o curso, o laboratório e treinar os professores que vão ensinar o jeito moderno de trabalhar essa matéria prima milenar. “Vamos ter 40 vagas. Esperamos realmente captar parte dessa mão de obra, mas essa escola será um celeiro de mão de obra especializada para todas as fábricas de vidro no Brasil”, diz o diretor industrial Morvan dos Santos Ladeira.

Moldar um profissional qualificado que ajude a melhorar a produtividade do país é o objetivo dos cursos técnicos. E a notícia mais quente é que 70% dos alunos que se formaram em São Paulo conseguiram emprego no primeiro ano depois da escola.

Fonte: Jornal Nacional edição de 26/01/18

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2018/01/curso-tecnico-aumenta-chance-de-uma-vaga-no-mercado-de-trabalho.html?utm_source=facebook&utm_medium=share-bar-desktop&utm_campaign=share-bar

 

EMBRAPA – Estudo sobre a percepção de alimentos

Por | Ensino fundamental, Médio técnico, Novidades, Pós-médio | Nenhum comentário

Estudo sobre a percepção de alimentos que está sendo desenvolvido sob a responsabilidade de pesquisadores da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e Universidad de la República, Uruguai.

Para participar você deve ser responsável por criança(s) de 6-12 anos.

O estudo consiste em simular a compra de produtos para o LANCHE DE SEU FILHO(A) necessários para 01 (uma) semana utilizando um site de supermercados.